clinimed-logo

CLINIMED SAÚDE OCUPACIONAL

Psicólogo pode dar atestado?  Entenda os critérios e procedimentos envolvidos

Psicólogo pode dar atestado? A imagem mostra um psicólogo conversando com uma paciente.

Psicólogo pode dar atestado?  Entenda os critérios e procedimentos envolvidos

Será que psicólogo pode dar atestado? Nos últimos anos, observamos um aumento significativo na conscientização acerca da importância do cuidado com a saúde mental e das consequências da negligência nessa área.

Atualmente, é comum encontrar pessoas buscando serviços psicológicos para diversas finalidades.

No entanto, surge uma dúvida quando o paciente necessita de um documento que justifique ausências, afastamentos ou condições psicológicas: os psicólogos têm autoridade para emitir atestados?

Neste artigo, você verá informações sobre a emissão de atestados psicológicos e como isso funciona.

O que é um atestado?

O atestado é um documento técnico e científico que funciona como um testemunho escrito para confirmar ou estabelecer a veracidade de algo. É emitido por um profissional habilitado e contém elementos como número de identificação, dados pessoais, CID, assinatura e carimbo.

De acordo com o dicionário Michaelis da Língua Portuguesa, a palavra “atestar” tem sua origem no termo latino “attestare”, que significa “confirmar, testemunhar”.

Portanto, um atestado pode ser entendido como um meio de confirmar e certificar informações, garantindo a autenticidade dos fatos.

Os pacientes podem solicitar um atestado em diversas situações, como para o abono de faltas no trabalho, embasamento em processos judiciais, comprovação para cirurgias e até mesmo para registrar sua presença em atendimentos psicológicos.

No entanto, é importante ressaltar que nem sempre o atestado é o documento adequado para todas as situações.

Diferenças entre Declaração, Laudo e Atestado Psicológico

A Declaração Psicológica é um registro breve e objetivo que documenta aspectos específicos da prestação de serviços, como presença e acompanhamento (incluindo datas e horários).

É importante destacar que esse tipo de documento não tem a finalidade de registrar sintomas, situações ou estados psicológicos.

Por outro lado, o Laudo Psicológico é o resultado de um processo de avaliação psicológica, com o objetivo de oferecer suporte a decisões relacionadas ao tratamento do paciente.

Quanto ao Atestado Psicológico, seu propósito é certificar, com base em um diagnóstico psicológico, um estado, situação ou funcionamento psicológico específico.

Suas principais finalidades incluem validar ausências, impedimentos, afastamentos ou dispensas, além de comprovar a aptidão para determinadas atividades.

As informações fornecidas no atestado devem ser fundamentadas e justificadas por meio de uma avaliação psicológica.

Por fim, é preciso esclarecer que um atestado médico é diferente de um atestado psicológico. A função pode acabar sendo a mesma, mas o atestado emitido por um médico é um documento distinto daquele emitido por um psicólogo.

Psicólogo pode emitir atestado?

Sim, os psicólogos têm a autoridade para emitir atestados psicológicos. 

Isso está de acordo com a Resolução do Conselho Federal de Psicologia, Nº 6, de 29 de março de 2019, que estabelece as diretrizes para a elaboração de documentos escritos por psicólogos no exercício de sua profissão, conforme o Artigo 10.

O Atestado Psicológico é um documento técnico e científico derivado de uma avaliação psicológica, na qual o profissional, devidamente registrado no Conselho de Ética dos Psicólogos, utiliza entrevistas, testes, observações e análises de documentos para sua elaboração.

Psicólogo pode afastar funcionário?

Conforme a Resolução Nº 015/96 do Conselho Federal de Psicologia (CFP), os psicólogos podem emitir atestados desde que haja um diagnóstico psicológico documentado que justifique o afastamento.

No entanto, se o funcionário se afastar do trabalho por um período superior a 15 dias, o empregador deve encaminhar o empregado ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para realizar uma perícia médica a fim de solicitar o auxílio-doença.

É importante ressaltar que apenas o médico perito da Previdência Social tem autoridade para avaliar a capacidade laborativa do indivíduo e determinar o enquadramento legal de acordo com a Resolução do Conselho Federal de Medicina Nº 1.851/2008.

O que a empresa pode fazer?

A empresa pode e deve atuar para evitar o esgotamento mental e físico do trabalhador, a fim de evitar situações que necessitem de afastamento, bem como preservar a saúde mental dos colaboradores.

1. Aderir às normas de saúde e segurança

A empresa deve seguir rigorosamente as normas de saúde e segurança no trabalho, garantindo um ambiente livre de riscos físicos e psicossociais. Isso inclui fornecer EPIs adequados, realizar treinamentos de segurança, e promover ações de prevenção de acidentes e doenças ocupacionais.

2. Promover a ergonomia no trabalho

Investir em mobiliário ergonômico, adequação das estações de trabalho e orientações sobre postura correta são essenciais para prevenir lesões musculoesqueléticas e melhorar o conforto dos colaboradores durante suas atividades laborais.

3. Desenvolver o PGR (Programa de Gerenciamento de Riscos)

Implementar um PGR eficaz ajuda a identificar, avaliar e controlar os riscos presentes no ambiente de trabalho, incluindo os relacionados à saúde mental dos colaboradores.

Isso envolve ações como avaliação de estresse ocupacional, identificação de fatores psicossociais e elaboração de estratégias para minimizar esses impactos.

4. Aderir a programas de controle de absenteísmo

Participar de programas de controle de absenteísmo permite à empresa monitorar e analisar as causas das faltas dos colaboradores, identificando padrões e implementando medidas preventivas e de apoio.

Isso inclui acompanhamento psicológico e programas de retorno ao trabalho após afastamentos por questões de saúde mental.

5. Criar um ambiente de trabalho saudável

Além de atender às normas de segurança e ergonomia, é fundamental criar um ambiente de trabalho que promova o bem-estar físico, emocional e social dos colaboradores.

Isso inclui estimular o trabalho em equipe, incentivar o diálogo aberto e construtivo, promover a diversidade e inclusão, e oferecer suporte psicológico quando necessário.

A Clinimed Saúde Ocupacional pode te ajudar em todas essas estratégias. Conheça as soluções da Clinimed e proteja os seus funcionários.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Post Relacionados

× Como posso te ajudar?