clinimed-logo

CLINIMED SAÚDE OCUPACIONAL

8 Problemas causados pelo mau uso de EPIs na empresa

O mau uso de EPI pode acarretar em acidentes e lesões graves. Médico socorre funcionário acidentado no trabalho.

8 Problemas causados pelo mau uso de EPIs na empresa

O mau uso de EPI (equipamento de proteção individual) traz consequências para empregadores e funcionários. Saiba mais sobre o assunto aqui.

Multas, indenizações trabalhistas e perda da credibilidade são alguns dos 8 principais problemas causados pelo mau uso de EPI nas empresas.

No ambiente de trabalho, esta prática pode gerar um ambiente propício ao aumento no risco de acidentes e doenças ocupacionais.

Quando isso acontece, a empresa sofre uma série de impactos negativos, inclusive legalmente na esfera judicial.

Por isso, é importante estar ciente dos 8 problemas mais comuns causados pelo mau uso dos equipamentos de proteção individual (EPIs). 

Somente o conhecimento das causas é capaz de ensinar como trabalhar a conscientização sobre riscos ocupacionais com os funcionários.

Então, confira a lista detalhada a seguir: 

1- Multas

As multas causadas pelo não ou mau uso de EPI podem chegar a até 50 salários mínimos, dependendo do tamanho da infração.

Além disso, sanções podem ser aplicadas, o que faz com que a empresa deixe de fabricar algum tipo de produto ou serviço, por exemplo.

2- Suspensão das atividades 

Em casos mais graves, o mau uso de EPI pode provocar interdição de todas as atividades executadas pela empresa.

No entanto, é mais comum que isso aconteça nos casos que envolvem acidente de trabalho que resultou em morte, devido às falhas nos procedimentos de segurança oferecidos pelo empregador.

3- Processos Judiciais

Como todos sabem, é obrigação das empresas fornecer e orientar sobre o uso de EPI durante a realização do trabalho.

Contudo, se isso não acontece no dia a dia e o trabalhador sofre alguma consequência grave em sua saúde física ou mental, poderá entrar na justiça contra o empregador.

4- Indenizações e Pensões

Quando os impactos na saúde provocados pelo não uso de EPI são extremamente sérios, a empresa corre altos riscos de precisar pagar indenização ao funcionário prejudicado(a).

Em alguns casos, até mesmo a pensão vitalícia pode ser solicitada, quando as consequências provocam a interrupção total da capacidade para o trabalho.

5- Perda parcial da audição

Algumas atividades emitem ruídos sonoros constantes e agressivos, o que explica a relação entre prevenção de ruídos e perda auditiva por meio do uso de protetores auriculares, por exemplo.

Assim, a perda parcial de audição é um dos acidentes mais comuns nas empresas, onde estima-se que 30 a 35% dos casos de perda de audição ocorrem por causa da exposição a ruídos diários que causam a surdez parcial.

6- Demissão por justa causa 

As demissões por justa causa são válidas nos casos em que o trabalhador(a) se recusa a usar o equipamento de proteção individual, mesmo após advertências e orientações, de acordo com o artigo 158 da Lei 6514 de 1977.

Para a empresa, uma demissão por justa causa nunca é uma solução adequada, principalmente quando a produtividade coletiva é levada em consideração.

7- Perda da credibilidade

Com o mau uso de EPI podem surgir surtos de doenças infectocontagiosas, como COVID-19 e Gripe ou até mesmo um acidente trágico que possa afetar a opinião pública.

Estes dois exemplos contribuem para a perda da credibilidade na empresa, que podem resultar em diminuição das vendas ou boicote por parte dos consumidores.

8- Afastamentos no trabalho

A consequência mais comum causada pelo mau uso de EPI ‘S nas empresas são os afastamentos de trabalho parciais ou temporários.

Afinal, toda vez que um funcionário se ausenta, ele  compromete a cadeia produtiva e consequentemente, a eficiência de toda a equipe.

O que fazer para evitar os problemas mais comuns causados pelo mau uso de EPI?

Investir em SST (Saúde e Segurança do Trabalho) é a melhor maneira de diminuir casos de acidentes e afastamentos provocados por falhas no uso dos EPI ‘s.

Além disso, treinamentos, cursos teóricos e práticos, além de uma equipe de fiscalização são medidas consideradas importantes.

Contudo, a equipe do SESMT (Serviço de Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho) precisa estar presente.

Uma vez que esses profissionais são os mais capacitados para orientar e criar programas de assistência ou promover o uso correto de EPI na empresa.

Conheça as soluções de segurança do trabalho da Clinimed.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Post Relacionados

× Como posso te ajudar?