clinimed-logo

CLINIMED SAÚDE OCUPACIONAL

Qual a relação entre prevenção de ruídos e perda auditiva?

Homem carpinteiro usando serra circular de bancada enquanto usa abafadores nos ouvidos e óculos de proteção.

Qual a relação entre prevenção de ruídos e perda auditiva?

A relação entre a prevenção de ruídos e a perda auditiva é evidente, pois quando o empregador investe na prevenção, o trabalhador não sofre abalo na sua saúde auditiva. É importante salientar que, perante à lei, a responsabilidade pela manutenção de um ambiente de trabalho saudável é sempre da empresa.

O ruído é um agente muito encontrado no ambiente de trabalho, e se engana quem acredita que ele só está presente em fábricas e indústrias. 

Fatores como: avenidas movimentadas; ar condicionado; sirenes; motores; e até o uso inadequado de fones de ouvido, podem ser capazes de prejudicar o rendimento e a concentração do trabalhador, por isso devem ser analisados com cautela.

Além disso, quando o trabalhador é exposto a ruído em excesso e intenso, com  potência acima de 85 decibéis, por mais de 8h por dia, corre o risco de sofrer a perda da audição, devendo o empregador ficar atento às medidas de prevenção previstas em lei.

Nos termos da legislação vigente, é responsabilidade do empregador proporcionar um ambiente de trabalho saudável ao trabalhador, prevenindo doenças e acidentes ocupacionais, e caso não cumpra com as determinações, a empresa pode sofrer sanções administrativas e judiciais.

O que é Perda Auditiva Induzida por Ruído?

Perda auditiva induzida por ruído (PAIR) é uma patologia desenvolvida a longo prazo, comum em profissionais que trabalham expostos a ruído sem o uso de equipamento adequado de proteção.

A exposição prolongada do trabalhador a ruídos nocivos causa a perda gradual da audição. O ruído danifica as células ciliadas (localizadas no interior do ouvido), situação que, progressivamente, vai causar perda auditiva no paciente. Por ser progressiva, em muitos casos o paciente demora para efetivamente perceber a diminuição na capacidade auditiva. 

Por isso, é sempre importante acompanhar o quadro de saúde do trabalhador, com exames periódicos, e atentar-se aos sintomas, que são: zumbido no ouvido, dificuldade para ouvir, irritabilidade e dificuldade para dormir.

A PAIR é irreversível, e seu único tratamento é realizado com o uso de aparelhos auditivos, os quais impedem a progressão da doença, mas não restauram a audição.

Como evitar que os trabalhadores sofram com a perda auditiva por ruído?

Inicialmente, para proteger os trabalhadores expostos ao ruído, é necessário realizar um laudo de ruído ambiental, a fim de conhecer o nível de ruído que o trabalhador é submetido.

Isso porque, de acordo com a normativa trabalhista, é obrigatório medir o nível de ruído (em decibéis) para saber quais os limites de exposição do funcionário a esse barulho.

Além disso, é essencial que a empresa respeite as Normas de Higiene Ocupacional, máxime a NHO 01 a qual estabelece critérios e procedimentos para a avaliação da exposição ocupacional ao ruído, que implique risco potencial de surdez ocupacional.

Essas normas são obrigatórias em quaisquer situações de trabalho, ou seja, todas as empresas que possuem empregados contratados pelo regime da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), devem obedecê-las.

Para que a prevenção ocorra de forma efetiva, o empregador deve trabalhar três frentes: proteção, conscientização e acompanhamento:

Proteção:

É ideal a elaboração do Programa de Conservação Auditiva se os trabalhadores estiverem expostos a um nível de ruído superior ou igual a média de 85 decibéis.

Neste programa, deve ser realizada a avaliação do nível do ruído no ambiente; com adoção e monitoramento de medidas de proteção auditivas coletivas e individuais.

Além disso, é essencial usar EPIs (equipamentos de proteção individual), como os  protetores auriculares, e tirar pausas do local ruidoso, com o fim de proteger a saúde do trabalhador.

Educação e treinamento:

Todos os funcionários devem ter o conhecimento da importância da audição e as implicações que os altos níveis de ruídos podem causar, devendo ser instruídos com relação ao uso do EPI, além da higiene na manipulação de protetores de inserção auricular, a fim de evitarem infecções de ouvido, que também podem causar a perda e/ou diminuição da audição.

Acompanhamento:

É de extrema importância o acompanhamento periódico audiológico dos trabalhadores, a fim de evitar a progressão de eventuais doenças.

Através do exame de audiometria, é possível realizar a detecção precoce da perda auditiva, ao avaliar a audição dos trabalhadores com equipamentos adequados. A detecção precoce é de extrema importância para que o empregador possa tomar medidas preventivas no ambiente de trabalho, evitando que o quadro se agrave.

Além disso, os exames admissionais, demissionais, de mudança de função e periódicos são exigidos pela norma trabalhista, máxime quando se trata de funcionário exposto a situações de risco, como os ruídos.

Para garantir ambientes de trabalho saudáveis e proporcionar redução de custos através do cumprimento da Legislação Trabalhista e Previdenciária, sua empresa pode contar com o programa de higiene ocupacional da Clinimed, que conta com profissionais habilitados e capacitados, e equipamentos modernos. Entre em contato e faça seu orçamento.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Post Relacionados

× Como posso te ajudar?