clinimed-logo

CLINIMED SAÚDE OCUPACIONAL

Conheça a importância da brigada de incêndio, e saiba como formá-la dentro da empresa

Pessoas observando profissionais que ensinam ressuscitação em um treinamento de primeiros socorros, uma das funções da brigada de incêndio na empresa.

Conheça a importância da brigada de incêndio, e saiba como formá-la dentro da empresa

Brigada de incêndio é um grupo organizado de pessoas, voluntárias ou não, que são treinadas para atuar em situações de prevenção e combate a incêndio, abandono de edificação e primeiros socorros.

Um erro muito comum é associar os brigadistas apenas à proteção contra incêndios, o que não é realidade. Na verdade é obrigação da brigada, agir em caso de incêndio e demais emergências.

Por isso, faz parte do treinamento dos brigadistas, aprender sobre primeiros socorros, além de técnicas para orientar, de forma coordenada, o abandono da edificação, e combater o foco do fogo, de modo a preservar a vida humana.

A principal Norma Técnica que regulamenta a formação da brigada de incêndio é a NBR 14.276 da ABNT, que sofreu uma alteração em 2020 para acrescentar ao título a relação da brigada com emergências, passando a se chamar “Brigada de incêndio e emergência – Requisitos e procedimentos”.

Qual a importância da brigada de incêndio?

Os brigadistas são pessoas muito importantes para manter a integridade física de pessoas e bens em uma instituição. Ainda que os outros funcionários do local tenham passado pelo treinamento de segurança do trabalho – que também é de suma importância – somente a brigada de incêndio tem o conhecimento técnico para  atuar na prevenção e no combate ao princípio de incêndio, abandono de área e primeiros-socorros.

Por esse motivo, ela não é indicada somente para grandes empresas, mas também para outras instituições como escolas, condomínios e bairros, os quais têm grande fluxo de pessoas e podem instituir uma brigada de incêndio para garantir sua segurança.

Em várias situações, é visível a importância da brigada de incêndio. No município de Poconé/MT, um incêndio que poderia tomar grandes proporções foi contido graças a atuação da Brigada Aliança da Terra, apoiada pela JBS.

Por outro lado, em 2018, ocorreu uma grande tragédia no museu Nacional do Rio de Janeiro,que não possuía brigada de incêndio, a qual poderia ter combatido o foco do incêndio ainda no início, evitando a perda de milhões de itens.

Como ocorre a formação da brigada de incêndio?

As normativas específicas serão ditadas por cada estado do país, nos quais o corpo de bombeiros determina o dimensionamento (quantas pessoas) e a obrigatoriedade da brigada de incêndio, levando em consideração as características da instituição.

O número de pessoas que comporão à brigada é diferente em cada local, considerando-se algumas características, como:

  • Divisão de ocupações;
  • Grau de risco da empresa;
  • Número de pessoas fixo de cada setor;
  • Distância de deslocamento;
  • Hipóteses acidentais que devem constar no plano de emergência;
  • Tempo de resposta.

O tempo de resposta é aquele que o brigadista demora para chegar ao local da ocorrência.

Escolha dos brigadistas

De forma ampla, a NBR 14.276 da ABNT traz alguns critérios para nomeação dos brigadistas, os quais devem ser escolhidos levando em consideração os seguintes requisitos:

  • Permanecer o maior tempo possível no estabelecimento;
  • Possuir boa condição física e boa saúde;
  • Ter conhecimento das instalações do local;
  • Ser maior de 18;
  • Ser alfabetizado

Caso não exista na instituição, pessoas que correspondam a todos os requisitos conjuntamente, a solução é optar por aqueles que mais se enquadrem nos parâmetros.

Obrigações do brigadista

A brigada de incêndio deve atuar nas ações de prevenção e emergência.

Quanto à prevenção, é obrigação do brigadista agir de forma antecipada à ocorrência, garantindo a segurança das pessoas do local. Por isso, ele deve, entre outras funções:

  • Conhecer o Plano de Emergência da empresa;
  • Avaliar eventuais riscos existentes;
  • Emitir um relatório com irregularidades observadas, apresentando sugestões de melhoria;
  • Inspecionar periodicamente os sistemas e medidas de segurança contra incêndio (extintores, alarmes, hidrantes, etc.); 
  • Realizar exercícios simulados.

Já em caso de emergência, o brigadista deve:

  • Orientar de forma coordenada o abandono da edificação;
  • Prestar primeiros socorros;
  • Combater o foco do fogo;
  • Fornecer informações ao corpo de bombeiros sobre a ocorrência, quando eles chegarem ao local.

Como ocorre o treinamento da brigada de incêndio?

O treinamento a ser oferecido aos brigadistas pode variar entre básico, intermediário ou avançado, a depender do grau de risco da instituição.

Para garantir que os treinamentos oferecidos sejam os melhores disponíveis no mercado, conheça os serviços da Clinimed, uma empresa especializada na realização de treinamentos de segurança do trabalho, com ampla experiência na área.

A Clinimed possui mais de 1.500 clientes em todo o território nacional, e tem capacidade para atender em qualquer local do país.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Post Relacionados

× Como posso te ajudar?