clinimed-logo

CLINIMED SAÚDE OCUPACIONAL

Quais são os efeitos do estresse ocupacional e como prevenir?

Homem atende telefones enquanto várias outras pessoas estendem as mãos lhe entregando outras tarefas. O acúmulo de funções é um dos gatilhos para o estresse ocupacional.

Quais são os efeitos do estresse ocupacional e como prevenir?

O estresse ocupacional interfere na saúde física, cognitiva e emocional dos trabalhadores. Entenda melhor sobre o assunto no decorrer deste artigo.

Com certeza você já deve ter ouvido falar sobre o estresse ocupacional ou estresse relacionado ao ambiente de trabalho.

Afinal, as condições de trabalho do mundo moderno deixam os trabalhadores susceptíveis a sobrecarga de funções, desencadeando situações extremas.

Sendo assim, controlar e reduzir o estresse ocupacional dos trabalhadores é um dos maiores desafios das empresas nas próximas décadas.

O que é estresse ocupacional

Estresse ocupacional é uma condição clínica onde o corpo reage de forma patológica ao excesso de desgaste físico, cognitivo e psicológico no trabalho.

Dessa forma, a doença interfere diretamente no bem estar e na saúde mental do profissional, que acaba ficando desmotivado(a) e sem ânimo para atividades simples.

No entanto,diferente do que muitos pensam, o estresse ocupacional não acontece de uma hora para outra.

Existem 3 fases responsáveis por desencadear o estresse ocupacional:

  • Alarme: Quando o organismo emite uma resposta fisiológica mediante a situações de pressão constantes no trabalho. 
  • Resistência: O corpo luta para recuperar o equilíbrio interno, a fim de conseguir suportar a sobrecarga relacionada ao acúmulo de gatilhos.
  • Exaustão: É o momento em que o estresse ocupacional atinge seu ápice, impedindo o trabalhador(a) de continuar exercendo suas atividades normalmente.

Causas do estresse ocupacional

A exposição frequente aos gatilhos que podem desencadear a doença é a principal causa do estresse ocupacional.

Além disso, acontecimentos e traumas na vida pessoal são capazes de influenciar na aceleração da manifestação dos sinais e sintomas.

No entanto, os gatilhos mais comuns são:

  • Falta de estrutura adequada no trabalho
  • Riscos Psicossociais 
  • Concorrência entre colegas 
  • Ambiente bagunçado e desorganizado
  • Exposição a ruídos e mudanças drásticas de temperatura
  • Acúmulo de funções
  • Falta de reconhecimento
  • Cobranças em excesso
  • Perseguições e bullying 
  • Cenário de instabilidade profissional 

Principais consequências do estresse ocupacional

Como você viu, diversas situações no trabalho podem desencadear o estresse ocupacional. Porém, mais grave que as causas são as consequências.

Conforme os cuidados com o estresse no trabalho vão sendo negligenciados, a doença avança consideravelmente.

A consequência final muitas vezes é o diagnóstico de doenças psico-sociais como a Síndrome de Burnout, caracterizada pelo esgotamento físico e psíquico.

Dados recentes apontam que o Brasil já é o segundo país com mais casos diagnosticados da doença.

Contudo, a Síndrome de Burnout não é a única doença que pode originar-se em decorrência dos altos níveis de estresse.

É comum que o estresse ocupacional também provoque: 

  • Depressão
  • Ansiedade 
  • Doenças cardíacas
  • Infecções digestivas 
  • Dor de cabeça crônica 
  • Doenças de pele como acne, eczema e psoríase 
  • Hipertensão
  • Transtornos alimentares 

Efeitos do estresse ocupacional na vida profissional

Os efeitos do estresse ocupacional na vida profissional são muitos. A começar pela perda da produtividade, já que a doença dificulta a memória e concentração.

Em seguida, os riscos das jornadas exaustivas provocam situações como problemas no atendimento aos clientes e dificuldades para entregar trabalhos no prazo.

Em estágio mais avançado, o trabalhador(a) passa a faltar com mais frequência, comete erros com mais facilidade e em casos mais graves, abandona o emprego.

Todavia, a doença também pode levar a dificuldades no relacionamento com os colegas de equipe, facilitando discussões e desunião.

Efeitos do estresse ocupacional na vida pessoal 

Como consequência, a falta de tratamento do estresse ocupacional faz com que as emoções e sentimentos pessoais oscilem em níveis muito altos.

O trabalhador(a) que tem estresse ocupacional e não recebe ajuda fica mais irritado, desmotivado e dependendo do grau de estresse, até agressivo.

Essas características a longo prazo dificultam relacionamentos afetivos, familiares e o convívio social.

Por este motivo, o estresse ocupacional é tão grave, pois ele facilita a ocorrência de situações trágicas como a depressão, suicídio e abandono da carreira. 

Como as empresas podem ajudar a superar o estresse ocupacional

As empresas têm um papel fundamental na saúde do trabalho e cada vez mais são indispensáveis na prevenção de novos casos da doença.

Como o estresse ocupacional é originado a partir de uma sobrecarga em decorrência do trabalho, é fundamental garantir um ambiente saudável, inclusivo e respeitador.

Algumas das soluções que geram bons resultados na prevenção do estresse ocupacional são:

1- Forneça equipamentos adequados para o trabalho

A falta de equipamentos e materiais básicos para a execução de uma tarefa é a porta de entrada para o estresse ocupacional.

Sendo assim, a empresa deve garantir que os profissionais recebam toda a estrutura necessária para executarem um bom trabalho.

2- Cuide da segurança da equipe 

Atividades periculosas e insalubres produzem um impacto agressivo no controle do estresse. Nesse sentido, é fundamental que os equipamentos de proteção individual e coletivos façam parte da rotina de trabalho.

3- Crie um plano de carreira 

Empresas que possuem planos de carreira para os funcionários sofrem menos com a rotatividade e abandonos no posto de trabalho. Além disso, um plano de carreira serve como motivação e oportunidade de crescimento profissional.

4- Evite o acúmulo de funções

É necessário respeitar as leis trabalhistas não apenas na teoria, mas principalmente na prática. Logo, a empresa deve ter cuidado com a jornada de trabalho e a cobrança de funções, uma vez que o excesso possibilita processos trabalhistas e adoecimento.

5- Crie espaços para descanso e relaxamento

Uma das melhores maneiras de evitar o estresse ocupacional é possibilitar que pausas aconteçam entre uma atividade e outra.

Na prática, você pode criar um espaço para descanso e relaxamento, que pode incluir cadeiras de massagem, sala de jogos ou até mesmo um espaço para atividades físicas.

6- Acompanhe os exames da equipe de trabalho

Além dos exames obrigatórios para trabalhadores, a empresa pode solicitar outros exames complementares, como a dosagem de cortisol, que permite identificar níveis altos de estresse e providenciar medidas para controle.

Outro ponto importante a ser considerado é que a empresa precisa seguir as orientações do médico responsável adequadamente, por meio do Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO).

Portanto, para prevenir o estresse ocupacional nos trabalhadores, a empresa deve garantir um ambiente de trabalho saudável e organizado, respeitando os limites e responsabilidades trabalhistas.

Conheça as soluções em saúde ocupacional da Clinimed!

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Post Relacionados

× Como posso te ajudar?