clinimed-logo

CLINIMED SAÚDE OCUPACIONAL

Saiba o que é a Cultura de Ergonomia, e como promovê-la na sua empresa

Mulher em uma sala de treinamento, olhando para a câmera e sorrindo, para demonstrar a importância do treinamento das pessoas ao promover uma cultura de ergonomia na empresa

Saiba o que é a Cultura de Ergonomia, e como promovê-la na sua empresa

Para viabilizar uma cultura de ergonomia na empresa, é necessário adotar algumas atitudes com o objetivo de demonstrar às pessoas daquele ambiente qual é a importância da ergonomia no trabalho, tanto para os gestores, quanto para os funcionários.

Quando várias pessoas de uma mesma organização compartilham de crenças, valores, percepções e comportamentos entre os diferentes indivíduos do mesmo grupo, é possível perceber a existência de um “cultura” naquele local.

Por esse motivo, falar em instituir uma “cultura de ergonomia” na empresa, não é uma tarefa fácil. Para que isso ocorra, diversos grupos de pessoas diferentes precisam concordar entre si em respeitar as diretrizes e recomendações da ergonomia no ambiente de trabalho, o que começa com a gestão.

Isso porque, deixar de conversar sobre os problemas não significa que eles são inexistentes.

A gestão precisa estabelecer uma relação de confiança com os colaboradores, pois somente dessa forma a real situação da empresa vai ser informada ao gestor, que poderá tomar alguma providência sobre o assunto. De outra forma, a administração só vai ter ciência de uma situação adversa, quando ela se tornar um problema para a empresa.

Ademais, cabe à instituição preocupar-se com a promoção da ergonomia desde o começo das suas atividades, agindo de forma coerente no tocante à sua atuação perante os funcionários, isso porque as diretrizes de ergonomia impactam diretamente na produtividade, e quando ignoradas podem trazer inúmeros prejuízos à organização.

Por isso é tão importante que a empresa se preocupe com as questões humanas e organizacionais na mesma medida que as questões técnicas, pois uma não apresenta bons resultados sem a outra.

O que é ergonomia organizacional?

A evolução da ergonomia mostra que seu foco mudou do posto de trabalho para o ambiente organizacional, de modo que não é mais possível individualizar a ergonomia e esperar bons resultados com isso.

É claro que, preocupar-se com a ergonomia física e com a ergonomia cognitiva do trabalhador é importante, porém de nada adianta adequar individualmente o local de trabalho, quando os estímulos externos da empresa agem em contrariedade com a ergonomia, isso porque a natureza ergonômica de todo o ambiente é a mesma.

Mas, para promover uma cultura de ergonomia na empresa, é essencial atentar-se à ergonomia organizacional.

Também conhecida como “macroergonomia”, está relacionada à otimização dos sistemas social e técnico da instituição, incluindo as estruturas organizacionais, políticas e processos da empresa.

Isso significa que ao analisar a ergonomia organizacional, são investigadas atitudes que a empresa tem para com o trabalhador, como, por exemplo:

  • Qual o ritmo de trabalho?
  • São oferecidas pausas?
  • O trabalhador consegue ir ao banheiro, alimentar-se, tomar água, durante o expediente?
  • Como funciona a distribuição de turnos?
  • Quais são os estímulos do trabalhador?
  • As metas impostas são atingíveis?
  • O trabalhador consegue cumprir suas tarefas durante a jornada de trabalho, ou precisa fazer hora extra com frequência?

Por isso é tão importante desenvolver e aplicar técnicas de adaptação de elementos do ambiente de trabalho e ao ser humano, com o fim de gerar bem estar ao trabalhador e evitar prejuízos à empresa.

Ergonomia na empresa é obrigatória?

Sim! Atualmente, seguir as regras de ergonomia são obrigação da instituição, determinadas pela Norma Regulamentadora nº 17 do Ministério do Trabalho e Emprego, a qual traz as diretrizes e os requisitos que permitem a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar conforto, segurança, saúde e desempenho eficiente no trabalho.

Uma vez que existe norma específica, todas as empresas que possuem trabalhadores contratados sob o regime da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), devem se adaptar a ela, sob pena de sofrerem sanções administrativas e judiciais.

A NR-17 se aplica a todas as espécies de trabalho, e regulamenta situações das mais diversas, como o  levantamento, transporte e descarga de materiais; adequação do mobiliário dos postos de trabalho; o trabalho com máquinas, equipamentos e ferramentas manuais; as condições de conforto no ambiente de trabalho; e à própria organização do trabalho.

Ergonomia está diretamente ligada à segurança no trabalho, pois através dela é possível evitar a presença de vários problemas de saúde, como as doenças ergonômicas, bursites, mialgias, hérnia de disco e dor nas costas, preservando a saúde física e mental dos trabalhadores.

Ademais, deixar de implantar um projeto de ergonomia na empresa, ignorando os riscos ergonômicos, traz inúmeros custos para o sistema, como:

  • O aumento de doenças ocupacionais;
  • O aumento do absenteísmo;
  • Reclamações constantes dos funcionários;
  • Alto índice de horas extras;
  • Baixa qualidade de produtos e serviços.

Além disso, é possível aplicação de multa pelo Órgão Fiscalizador, interdição do estabelecimento, setor de serviço, máquina ou equipamento, embargo parcial ou total da obra, e condenação judicial.

Os benefícios da ergonomia no trabalho são evidentes, não só para garantir a qualidade de vida ao trabalhador, mas também ao evitar maiores custos para a empresa.

Como implementar uma cultura de ergonomia na empresa?

Não tem como falar em mudar crenças e paradigmas sem oferecer informações.

A ergonomia trabalha em três principais frentes interligadas: A promoção de conforto, segurança e eficiência, e é importante que todas as pessoas que desenvolvam alguma função na empresa, entendam a importância de possuir e respeitar o Programa de Ergonomia.

Por isso, é essencial que o Programa de Ergonomia (PROERGO) seja desenvolvido e executado por profissionais da área de saúde do trabalho, ergonomistas experientes e qualificados que consigam identificar e solucionar possíveis irregularidades presentes no ambiente laboral.

Com o Plano de Ergonomia elaborado, é importante que seja seguido por todas as pessoas da empresa, por isso que o oferecimento de cursos e treinamentos na área, também são boas opções para promover uma cultura de ergonomia na organização.

Além disso, outras medidas interessantes que trazem maior qualidade de vida aos colaboradores, e consequentemente, maior adesão às mudanças realizadas em função da ergonomia, é a prática de ginástica laboral e treinamento funcional no ambiente de trabalho.

Para continuar a leitura, entenda: O que é Proergo: Programa de Ergonomia e como funciona?.

Compartilhe:

Facebook
Twitter
Pinterest
LinkedIn

Post Relacionados

× Como posso te ajudar?